sexta-feira, 27 de julho de 2012


“Tenho todas cartinhas, papeis, rabiscos que você escreveu pra mim, tenho todas as fotos, os embrulhos dos presentes, tudo que veio de você. Guardei em uma caixinha e tranquei com um cadeado, em dias de nostalgia eu a abro, sei o quanto é torturante isso. Mas é o único jeito que encontrei pra matar um pouco a saudade. Eu guardei tudo, tudinho. E junto com as lembranças, eu guardei você, dentro de mim, em um lugar onde eu jamais consiga te esquecer.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >