segunda-feira, 20 de agosto de 2012


“Estar apaixonado é um problema, agora imagine não estar. Não estar apaixonado é não sentir. É estar vivo e se sentir morto. Mas morto não sente. Morto não respira, morto não sabe ser feliz, morto não se descabela com vontade de ser amado, o morto só fica ali, parado. Amar é pedir sentença de morte e não amar é já estar morto e ás vezes nem saber. Não amar é se sentir vazio todas ás vezes que vê alguém suspirando amor. Você não sabe a sorte que tem por ter o coração transbordando amor. Tá, eu sei. Você está sofrendo. E muito. Mas imagina, uma dia vai acontecer que alguém vai te amar tanto que vai prender a respiração sem querer quando estiver perto de você. Sim, isso vai acontecer. Alguém um dia contar as horas pra te ver e você vai fazer o mesmo, porquê existe o amor. Você tem sorte. Amar mesmo, quase ninguém ama. Você ainda não desistiu. Você ainda está apanhado, mas continua. O mundo já desistiu de amar, você não. As pessoas estão com os olhos furados e elas culpam o amor. Mas não é ele o culpado. Quem me dera ter a sorte de acreditar que o amor faz bem. Juro, eu queria me descabelar por um amor. O amor não me escolheu e a vida também não. Eu queria amar. Juro. Não adianta me dizer que amor faz doer. Eu sei que ele faz doer, mas ele faz sentir. E eu preciso sentir. Uma vez li a frase ´´Quem não ama, não vive´´. Você vive. O resto do mundo não. O amor se tornou algo banal, descartável. Ninguém quer mais. Todo mundo está jogando no lixo. Não existe amor reciproco. Não existe amor próprio. Ninguém quer amar o outro. Só quer se amado. Ninguém quer dar amor, só quer receber. E eu sinto pena de mim e do resto do mundo que não ama.”

Não amar é estar morto, Kássia Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >