sexta-feira, 19 de outubro de 2012

“Eu te faria minha de qualquer jeito, menina. Assistiria ao filme que você gosta e eu não. Aprenderia a fazer aquelas comidas japonesas que tanto pede. Aprenderia, inclusive, a gostar delas. Escutaria as suas músicas estranhas que finjo não estar escutando. Seria um tanto de ti e um tanto de mim. Eu te olharia com este meu olhar falante e contaria os segredos mais tristes dos meus dias. Depois, menina, com risadas eu te contaria as partes felizes da minha vida, e aí seria um livro dos seus detalhes, do jeito certo que tem de lidar comigo. Das vezes em que te digo “me deixa”, eu grito “me ama”. E você sabe, sempre sabe tudo e mais um pouco. Até sem essa história eu te faria minha. Lá fora não se acha mais amores (ainda bem que já te encontrei).” (Camila Costa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >