quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

“Eu nunca tive coragem de te dizer nada. Espero que você nunca leia isso, ou sei lá, não me importo. O texto é só para dizer estou a beira de ficar louca. Logo eu né? Logo eu que me acho bem resolvida o bastante pra ninguém nunca bagunçar minha cabeça. Nunca deixei ninguém me iludir, mas sério, se for ilusão ou não, eu tô gostando. Que loucura. Que tipo de ser humano gosta de ser iludido? É que no fundo eu queria que fosse verdade. Isso tá fodendo com meu psicológico e eu já não bato muito bem da cabeça e ai vem você. Eu acordo meio tristinha todos os dias pensando em você e durmo com o coração apertadinho. Esse sentimento é tão errado, pelo menos pra mim é. Está tudo errado. Eu não devia pensar em você, não desse jeito. A parte do sentimento eu posso lidar com ela, posso levar nas costas, mas o fato de você nunca, nunquinha, jamais.. ser meu é um tapa na minha cara. Quando eu penso isso dá vontade de fazer que nem criança quando a mãe não quer fazer a vontade dela. Bater o pé, sentar o chão e abrir o berreiro. Mesmo relutante eu posso lidar com isso também. Tenho até medo de ver sua reação quando souber disso tudo. Na verdade eu prefiro nem saber. Lá vou eu estragar amizade só porque estou confundindo os sentimentos. Eu sou durona, eu nunca gosto de ninguém, eu não me iludo. Isso tem que estar errado. Estou confundido, não estou?” (Vou lidar com isso, relaxa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >