domingo, 29 de julho de 2012


“Ele é o meu oposto, o meu outro lado errado. Ele age por impulso, é todo contraditório. Dificilmente concordamos, e quando concordamos damos um jeito de discutirmos. Brigamos por coisas bobas, e logo em seguida nos reconciliamos. Ele adora uma festa, um cigarro e uma vadia. Não sabe o que quer do futuro, nem que profissão seguir, mas sabe que amanhã tem festa. Desleixado, mal-educado, metido, errado. Mas, mesmo assim meu.”

Barbara Jurck - “Um clichê sobre ele”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >