quarta-feira, 3 de outubro de 2012

“Se você soubesse como eu me sinto cada vez que eu olho para você e te vejo querendo encontrar em qualquer outra pessoa o mesmo amor do tamanho do mundo que eu guardo pra você. Eu te olho e tenho tanta vontade de te cuidar, de um jeito que ninguém mais poderia ou saberia. Eu tento levantar as mãos e falar em voz alta: “Ei, olha pra cá, eu estou aqui! Me enxerga, por favor… Me enxerga!”, tentando chamar a tua atenção de alguma forma mas, você não olha. E, quando olha, não percebe. E tudo não passa de apenas mais uma tentativa. Não passa de mais uma chance despercebida e desperdiçada.” (Plenitude)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >