quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

“É que os sentidos se perdem e você me encontra. Não há lógica, nada sagaz, quando penso que falta solução, você resolve. Apertamo-nos em um espaço pequeno demais e a distância entre nós ainda incomoda. E eu não sei o porquê de não querer ir, mas isso deveria ser o suficiente pra te fazer ficar. Porque o que sinto não diminui, e eu só preciso que sua coragem não envelheça antes do tempo. Que você não me deixe quando eu mais precisar, mesmo que eu te mande embora em um momento de estupidez. Me desafie, se arrisque, mas permaneça. Por que afinal, amar é isso né? Permanecer mesmo que a pessoa te dê um milhão motivos para partir.” (Pedro Pinheiro e Luna, Casebre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

// >